Artigos de opinião

28/06/2021

Voto impresso: expectativas frustradas

Paixões, naturais em debates futebolísticos, assumiram o lugar da compreensão e da análise de argumentos acerca da proposta de adoção do voto impresso.
21/06/2021

Alteração da lei de improbidade administrativa – Necessário remédio legislativo para um problema cultural

Aprovada pela Câmara dos Deputados, alteração na Lei de improbidade administrativa deve garantir um mínimo de segurança jurídica para o bom administrador público.
18/06/2021

Engenharia institucional e correlação espúria: os dilemas da reforma política no Brasil

Reforma Política não resolverá todos os problemas do sistema partidário brasileiro, afirma artigo que contou com a participação da ABRADEP.
17/06/2021

Eleições suplementares e a Covid-19

A pandemia teve efeito direto nas campanhas de 2020 e segue pautando as ações dos tribunais eleitorais pelos país.
17/06/2021

A falácia do voto impresso

Adoção do voto impresso é desnecessária, desestabilizadora, nociva e caríssima, afirmam membros da ABRADEP.
17/06/2021

Distritão ameaça a representatividade

Em artigo na Folha de S.Paulo, Luiz Fernando Casagrande Pereira alerta para a ilusão sobre os efeitos da reforma política e defende a manutenção do voto proporcional.
07/06/2021

CPI da Covid ou CPI do Machismo?

Gabriela Rollemberg analisa o fenômeno do "manterrupting" na CPI da Covid-19, neologismo surgido a partir da junção das palavras em inglês “man” (homem) e “interrupting” (interrompendo) para indicar a interrupção desnecessária de uma mulher por um homem, impedindo que ela conclua sua fala.
30/05/2021

‘Ideologia! Queremos uma para viver’. E temos?

Daniel Falcão, membro da ABRADEP, e Camilo Jreige, analisam em artigo para o ConJur a possibilidade ou não de que indivíduos se candidatem por meio do que se conhece como candidatura avulsa, que é, de maneira direta, uma candidatura que não exige a filiação do candidato a nenhum partido.
25/05/2021

A CPI da Covid-19 e a invisibilidade da violência política de gênero

Em artigo publicado no Consultor Jurídico, Carla de Oliveira Rodrigues aponta que "a tentativa da imposição da cultura do silêncio, com interrupções dos discursos, criação de estereótipos e tentativas de impedir a participação plena das mulheres em comissões importantes, impõe limitações ao pleno exercício dos direitos políticos e das atribuições inerentes ao cargo ou atividade parlamentar, configurando violência política simbólica de gênero".
Acesso Interno
Skip to content