Mulheres na política

05/12/2023

Especialistas da ABRADEP analisam condenações do TSE às fraudes de cotas de gênero, para O Globo

Enquanto a Câmara discute anistiar as multas aplicadas aos partidos que descumpriram a cota de gênero nas eleições, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vem acelerando punições às fraudes. A reportagem de O Globo ouviu quatro integrantes da ABRADEP sobre essas recentes condenações.
03/11/2023

Breno Guimarães comenta o “Dia do direito de voto das mulheres no Brasil”

Como destaque de o dia 3 de novembro ser o Dia da Instituição do Direito de Voto da Mulher, o cientista político e membro da ABRADEP Breno Gonçalves lembrou à reportagem de O Liberal (PA) que, segundo o TSE, as mulheres correspondem a 53% das eleitoras brasileiras e, ainda assim, existe uma sub-representatividade feminina no Parlamento.
30/10/2023

O decréscimo dos standards probatórios para a cassação por fraude à cota de gênero

A implementação da cota de gênero para candidaturas femininas nas eleições proporcionais trouxe um desafio significativo, como é apontado no artigo da coordenadora de Comunicação da ABRADEP, Amanda Guimarães da Cunha, e do professor e doutor em Direito, Luiz Magno Pinto Bastos Junior, publciado no JOTA.
20/09/2023

Minirreforma gera repercussão entre integrantes da ABRADEP

Integrantes da ABRADEP estão criticando algumas propostas e a celeridade da aprovação da minirreforma eleitoral, já aprovada na Câmara dos Deputados e que está sendo analisada no Senado. Vale lembrar que a propsota tem que ser sancionada até o dia 6 de outubro apra que possa valer apra as eleições de 2024
04/09/2023

Renata Mendonça comenta PEC das cotas de mulheres para O Globo

A proposta da PEC que tramita na Câmara dos Deputados para substituir a cota mínima de 50% de mulheres nas chapas eleitorais pela reserva de 15% das cadeiras nas Casas Legislativas para mulheres é vista como “um recuo” pela advogada e integrante de ABRADEP, Renata Mendonça, para a reportagem de O Globo.
05/07/2023

Especialista avalia PL que permite uso de recurso eleitoral no cuidado com crianças e idosos

O projeto de lei aprovado pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher que permite o uso de recursos eleitorais para cobrir despesas relacionadas ao cuidado de crianças, idosos, pessoas com deficiência e enfermos que estejam sob os cuidados da candidata, recebeu o apoio da professora de Direito Eleitoral e integrante da ABRADEP, Ana Carolina Clève.
Pular para o conteúdo